Diabetes


Introdução

O Diabetes Mellitus está presente em quase todos os países do mundo. No Brasil estima-se que 7,6% da população adulta seja diabética, sendo que quase metade não o sabe. Ainda, há uma predominância de 9,6% de diabéticos entre os habitantes do município de São Paulo .

Definição

Diabetes Mellitus é uma doença caracterizada pela elevação da glicose no sangue (hiperglicemia). Pode ocorrer devido a defeitos na secreção ou na ação do hormônio insulina, que é produzido no pâncreas, pelas chamadas células beta. A função principal da insulina é promover a entrada de glicose para as células do organismo de forma que ela possa ser aproveitada como fonte de energia para as diversas atividades celulares. A falta da insulina ou um defeito na sua ação resulta, portanto em acúmulo de glicose no sangue, o que chamamos de hiperglicemia. A consequência é que essa glicose em excesso começa a se depositar nos órgãos/tecidos.

Como ocorre

A combinação de fatores causais como herança genética, hábitos alimentares, sedentarismo, obesidade, stress, longevidade podem ter como resultado o diabetes

Consequências

  • Pacientes diabéticos representam cerca de 30% dos pacientes que internam em Unidades Coronarianas Intensivas com dor precordial;
  • O diabetes é a principal causa de amputações de membros inferiores;
  • É, também, a principal causa de cegueira adquirida;
  • Cerca de 26% dos pacientes que ingressam em programas de diálise são diabéticos

Diagnóstico

O diagnóstico laboratorial pode ser feito de três formas e, caso positivo, deve ser confirmado em outra ocasião. São considerados positivos os que apresentarem os seguintes resultados:

1) glicemia de jejum > 126 mg/dl (jejum de 8 horas)

2) glicemia casual (colhida em qualquer horário do dia, independente da última refeição realizada (> 200 mg/dl em paciente com sintomas característicos de diabetes.

3) glicemia > 200 mg/dl duas horas após sobrecarga oral de 75 gramas de glicose.

Existem ainda dois grupos de pacientes, identificados por esses mesmos exames, que devem ser acompanhados de perto pois tem grande chance de tornarem-se diabéticos. Na verdade esses pacientes já devem ser submetidos a um tratamento preventivo que inclui mudança de hábitos alimentares, prática de atividade física ou mesmo a introdução de medicamentos. São eles:

(a) glicemia de jejum > 110mg/dl e < 126 mg/dl.

(b) glicemia 2 horas após sobrecarga de 75 gr de glicose oral entre 140 mg/dl e 200 mg/dl

Sinais e Sintomas

Pessoas com níveis altos ou mal controlados de glicose no sangue podem apresentar:

  • Muita sede;
  • Vontade de urinar diversas vezes;
  • Perda de peso (mesmo sentindo mais fome e comendo mais do que o habitual);
  • Fome exagerada;
  • Visão embaçada;
  • Infecções repetidas na pele ou mucosas;
  • Machucados que demoram a cicatrizar;
  • Fadiga (cansaço inexplicável);
  • Dores nas pernas por causa da má circulação.

Apesar disto, em muitos casos, a hiperglicemia crônica não desencadeia sintomas.


Orientações Nutricionais para o Diabetes